quinta-feira, setembro 14, 2006

Capa de Honra de Miranda do Douro



Capa de Honra, essa peça de corte erudito, a mais nobre peça do Traje popular cuja confecção se chegaram a gastar 60 dias. Seria ela usada quase exclusivamente por pessoas com um nível de vida económico e favorável. Teremos de concordar que uma Capa de Honra é não só uma das peças mais nobres do Traje português como também uma das mais ricas e dispendiosas.
A amplitude da capa de honras indica uma razoável capacidade económica do seu utilizador para a poder mandar fazer ou adquirir, uma vez que esta peça necessita de 10 metros de burel (tecido de lã pisoado).

Estamos perante um dos trajes regionais mais ricos.

Do decote nasce a capa, a sobrecapa e o capuz.
A capa é comprida e ampla, cortada em viés, aberta na frente. A sobrecapa desce até à zona do cotovelo sendo toda bordada e pespontada. Termina em franjas largas. O capuz, com capeto, inteiramente bordado, termina numa larga faixa, denominada Honra, cujo tamanho é representativo da riqueza e importância do utilizador. Esta também é bordada e pespontada, rematada com uma franja.
A Capa de Honra era também usada pelos boieiros, que a utilizavam não só como protecção do frio e da chuva, mas também para se deitarem sobre ela enquanto andavam nas suas fainas, qualquer pessoa possuía a matéria prima para a confeccionar - o Burel - e o labor do alfaiate era muitas vezes, compensado em géneros ou jornas. Estas capas eram menos trabalhadas, menos bonitas, menos perfeitas, menos cuidadas, pois passou a ser uma peça de uso quotidiano - passando a Capa de Honra a ser simultaneamente traje de trabalho e de festa, conferindo-lhe um duplo sentido de dever e da honra.

2 comentários:

Jumento disse...

Gostei muito do seu blogue e fica prometida a devida referência logo às 00h00.
Abraço

Sandra Rocha disse...

Olá boa noite.
Vou copiar o seu texto para o meu artigo sobre as capas de honra de Miranda do Douro, vou colocar o seu link.
Parabéns pelo excelente trabalho que aqui tem.

Um feliz 2010.